9 de maio de 2022

O impacto feminino no mundo do Abacate

Segundo o Censo Agropecuário de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de mulheres na liderando propriedades rurais aumentou 38% em todo o País entre 2006 e 2017.

Esse avanço da mulher na Agropecuária reflete o empenho e o trabalho duro que mulheres agricultoras e pecuaristas têm dedicado para transformar o cenário brasileiro.

Em matéria recente do G1, a região com a maior presença feminina foi o Nordeste (57%), seguida pelo Sudeste (14%), Norte (12%) e Sul (11%). As mulheres que antes ocupavam apenas lugar ao lado dos maridos, hoje lideram lavouras e criação de animais, atuando tanto na produção como na comercialização dos seus insumos.

Para o diretor geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) empoderar a mulher rural não se trata apenas de igualdade de gênero, mas também de segurança alimentar e combate à pobreza, em especial nos países em desenvolvimento.

Isso se deve ao fato segundo ele de que mulheres reinvestem até 90% dos lucros em suas famílias. Apesar de menos de 20% das mulheres serem proprietárias de terras no mundo, elas destinam o lucro em comida, cuidados médicos, escolas e atividades geradoras de rendimentos, características que ajudam a quebrar o ciclo da pobreza entre gerações.

 

Representatividade feminina na ABPA

Cecília Whately

 

Quando se fala de representatividade da mulher, não podemos deixar de destacar que a atual presidência da ABPA é ocupada por uma mulher produtora. Há cerca de 2 anos, Cecília Whately assumiu a função com o objetivo segundo a mesma de “(…) realmente trazer uma visão mais feminina e agregadora para que houvesse maior engajamento dos associados. Me preparei para essa posição, usando estratégias de governança empresarial, que valorizam a clareza e transparência na gestão.”

Cecília vive dentro do universo agrícola desde a infância, visto que seus avós e pais eram cafeicultores.  A artista de formação ainda ressalta quando começou sua relação com o cultivo de abacates. “Iniciamos os plantios de abacate na fazenda no final dos anos 80 com a variedade Margarida e com o tempo fomos cultivando outras variedades como o Hass, Fortuna, Quintal e Breda.”

Neste mês de maio, teremos a mudança de presidência conforme previsto pelas normas da ABPA. Lígia Falanghe Carvalho assume a presidência depois de ocupar por 2 anos a vice-presidência ao lado de Cecília.

Lígia, hoje diretora de Marketing da Jaguacy, principal produtora de abacates tipo Hass no Brasil, assume seu cargo com algumas missões. Segundo ela, trata-se de um desafio, pois desde o início de sua trajetória em 1996 na empresa dos seus pais (fundadores da Jaguacy),  ela atuou apenas na produção de avocados e não teve vivência no cultivo e comercialização de outras variedades.

Para superar esse entrave e assumir seu novo posto, Lígia afirma ter se aliado nesse período na ABPA, à pessoas que pudessem fornecer um cenário mais amplo acerca das demais variedades de abacate.

Deixe um comentário
Você também pode gostar
Abacate em dietas sem carne
+
Abacate em dietas sem carne

O Abacate pode ser um ótimo aliado em dietas que não possuem carne, por ser rico em proteína, que garante proteção imunológica e reconstrução muscular. A ...

27 de março de 2019
Aprenda a fazer um creme antirrugas com abacate
+
Aprenda a fazer um creme antirrugas com abacate

 Pensou que o abacate só pode ser utilizado se for em receita culinária? Pensou errado. Rico em antioxidantes, vitaminas A, C, E, K e do complexo B, além de ...

19 de abril de 2022
Estresse e alimentação
+
Estresse e alimentação

Você sabia que o estresse tem relação direta com a nossa alimentação? O que você come pode reduzir ou aumentar o nível de estresse físico e mental, além de ...

8 de julho de 2020